Queijo com goiabada

 

Meu pensamento cantou

Então escrevi para você

Palavras audíveis em melodia

Coisa típica da Bahia.

Aguardo sua resposta…

Mineira, intervalada, reticenciada…

Daquele jeito pausado…

Entre uma frase e outra,

Um “grande sertão veredas” inteiro….

Ah!!! Como amo essa poesia sua de mineiro.

Marta Nascimento, Governador Valadares, às 11:33 12/11/2017. PVHM c/c@

Pós-Covid-19: que visão de mundo e que valores desenvolver?

Leonardo Boff

         Pós-Covid-19: que visão de mundo e que valores desenvolver?                                    

Leonardo Boff*

Causa séria preocupação o ataque sistêmico que a natureza mediante um pequeníssimo e invisível vírus está movendo contra a humanidade, levando milhares à morte. Entretanto, fundamental é também a nossa reação frente à pandemia. Que lição ela nos passa? Que visão de mundo e que espécie de valores ela nos leva a desenvolver? Seguramente devemos aprender tudo o que devíamos ter aprendido e não aprendemos. Devíamos ter aprendido que somos parte dela e não os seus “senhores e donos” (Descartes). Vigora uma conexão umbilical entre ser humano e natureza. Viemos do mesmo pó cósmico como todos os demais seres e somos o elo consciente da corrente da vida.

             A erosão da imagem do “pequeno deus na terra”

O mito dos modernos de que nós somos “o pequeno deus” na Terra e que podemos dispor dela ao…

Ver o post original 5.082 mais palavras

COROAÇÃO¹

Pierre Levy's Blog

Pierre Lévy

A pandemia do coronavírus tem e continuará tendo efeitos catastróficos não só em termos de saúde física e mortalidade, mas também nas áreas de saúde mental e economia, com consequências sociais, políticas e culturais difíceis de calcular. Já se pode dizer que a escala do sofrimento e da destruição está se aproximando de uma guerra mundial.

Se ainda houver necessidade, estamos progredindo na consciência da unidade e da continuidade física de uma população humana planetária compartilhando um ambiente comum. O espaço público se deslocou para o virtual e todos estão participando da comunicação por meio das mídias sociais. As principais plataformas web e serviços online têm visto um aumento considerável na sua utilização e as infraestruturas de comunicação digital estão no limite da sua capacidade. Medicina, educação, trabalho e comércio à distância tornaram-se comuns, anunciando uma profunda mudança de hábitos e habilidades, mas também a possibilidade de limitar…

Ver o post original 302 mais palavras

Coronavirus: Gaia’s reaction and revenge?

Leonardo Boff

Everything relates to everything: that is now a data point in the collective consciousness of those who develop an integral ecology, such as Brian Swimme, many other scientists, and Pope Francis, in his Encyclical Letter, “On the Caring for the Common Home”. All beings of the universe and of the Earth, including us, human beings, are part of the intricate web of relationships, spun in all directions, in such a way that nothing exists outside of those relationships. That is also the basic thesis of the quantum physics of Werner Heisenberg and Niels Bohr.

It was well known by the original peoples, as expressed in 1856 by the wise words of Duwamish Grandfather Seattle: “Of one thing we are certain: the Earth does not belong to man. Man belongs to the Earth. All thing are interrelated like the blood that unites a family; everything is interrelated with everything. That which…

Ver o post original 775 mais palavras

Apologia ao verde, sim.

Verde amado,

verde lindo.
Colorado, palmeira tem tom.
Simetria,

monumento do movimento.
De cinco pontas,
Animam.

Macaxeira
Farinha de grilo.
Farofa de sementes de palmeira é leite,
Branco.
Verde amado.

E esse tom de alface,
Meio burro fugido,
Olhando de fora.

E se trocar o tom,
Da vibração,

ondas verdes.
Azuis,

ai água.
Peixe,
te peguei com anzol.
Me puxaste pra água.

 

memórias anaeróbicas da flor estelar, rabiscado em 18/03/2007

Metalurgia do abraço.

O asco,

desfaço, engenharia,

da funilaria do aço.

restauro o laço.

 

Na calmaria dos passos,

que recorda abraços,

da ciência de outrora,

amasso.

 

Da louca infâmia,

das dores que clama,

ordem, cansaço,

do amor a flor,

estardalhaço do flanco,

do autor que ama,

reclama, insônia,

das horas retorcidas,

em busca da alegria,

que roubada previdência,

providência, reclama.

pois a saga transforma,

retorna, bigorna.

tu ama, a ama,

desordem, alegria.

profanas, enganas, retrai,

retorce, e ama.

herói aprisionado,

por convicção do ódio,

serpente, te piso, agoniza,

retorcida,

fim da peçonha.

 

Fábrica do desespero

parece ser fato,

imperioso ato,

de fabricar o medo.

Estão todos assustados,

o país largado,

e às feras soltas.

 

O ideal é o rudimentar,

quanto mais violência,

funciona no ar,

plantar desespero

na sala de estar.

 

Abdutora do diálogo,

cria gargalos,

com seus monstros colorados,

quer a todos assustar.

 

Acende o pensamento,

planta lá tormentos,

no canal de irmãos,

para a todos afrontar,

roubando inocência,

do abrasileirar.

Te desfaço besta-fera,

globo de fezes,

não passa de uma quimera.

o canal vou desligar.